30 março 2009

Tic Tac...


Sonhos de Einstein
Upload feito originalmente por Amanda Ourofino
Às vezes o pacato, o careta e o sossegado têm o seu lugar.

Sim.

A vontade de simplesmente estar e fazer coisas corriqueiras, comuns, que acontecem todos os dias, mas com consciência do que está acontecendo.

Pois a grande diferença é justamente essa: consciência.

Fazemos quase tudo no automático. Tomar banho, por exemplo. Eu tenho um ritual: começo lavando o cabelo com xampu, depois o condicionador, aí enquanto o condicionador age, lavo o corpo e o rosto. Um belo dia, me ensaboei primeiro e depois lavei os cabelos. O problema é que só me dei conta de que tinha começado "errado" quando estava lavando o cabelo.

Nossa, que coisa mais triste fazer tudo no automático! Acho que viver no presente, no agora - aquilo que todos os livros de auto-ajuda e filosofias budistas falam - resume-se basicamente a isso: fazer as coisas com consciência de que estou fazendo-as.

Por isso, mesmo que tomar banho seja sempre tomar banho, ou almoçar seja sempre almoçar, que seja com consciência de que estou fazendo isso, sem ficar planejando os minutos seguintes, sem ficar lamentando os minutos passados.

Mas vivendo o agora.

Porque o que passou, passou; e o que virá ainda não veio...


A.

28 março 2009

Seguindo

Sinto-me em casa. Sim, acho que cheguei.
Um contato maior e mais profundo comigo mesma, uma percepção maior e melhor daquilo que me vai na alma.
Ainda me encontro confusa com relação a alguns "comos" e "porquês", mas essencialmente eu sei exatamente o que eu quero.
A direção é linear? Não, acho que é fluida. Espero que o universo me ajude, pois não tenho muita idéia de como vou chegar lá. Só sei que vou. E ponto.

Foi difícil decidir isso. Algo negado e subjulgado há tanto tempo - uma vida inteira - sem que tivesse nenhum brecha para sair, para ganhar espaço e simplesmente acontecer.
Cheguei ao limite de sentir que, se não deixasse me levar pelo que vai na alma, simplesmente morreria por dentro. E viver morta não é algo agradável nem desejável.

Se tenho medo? Sim, ele vem e vai. Em alguns momentos ele é tão grande que me sinto quase paralisar. Mas uma voz interna me diz "não desista... senão você não vai conseguir viver!". E sigo em frente.

É, isso. Vamos em frente!

19 março 2009

The truth in our hearts



I carry your heart with me



"I carry your heart with me( I carry it in my heart)
I am never without it
(anywhere I go you go, my dear; and whatever is done
by only me is your doing, my darling)
I fear no fate (for you are my fate, my sweet)
I want no world (for beautiful you are my world, my true)
And it's you are whatever a moon has always meant
And whatever a sun will always sing is you

Here is the deepest secret nobody knows
(here is the root of the root and the bud of the bud
and the sky of the sky of a tree called life; which grows
higher than the soul can hope or mind can hide)
And this is the wonder that's keeping the stars apart

I carry your heart (I carry it in my heart)"



E.E. Cummings