29 dezembro 2008

Fim de ano


É engraçado o que acontece no fim do ano.
Algumas pessoas ficam sensibilizadas, mais abertas, mais prestativas, e tentam fechar seu ano da melhor maneira possível: tentam .erminar as coisas interminadas, resolver problemas com pessoas, retomar ou finalizar projetos, etc, etc, etc...

Ainda não sei qual seria meu momento "fim de ano".

Arrumar os papéis? Organizar as contas? Desentalar a garganta de coisas que eu ainda não disse?

Vou tentar descobrir... ainda tenho um dia e meio... :-)

Um 2009 maravilhoso para todos. Que seja muito, mas muito mais leve que 2008.

Beijos

A.

20 dezembro 2008

Bitter:Sweet









Descobri por causa da abertura de um seriado (Lipstick Jungle)

Essa dupla, de Los Angeles, se conheceu 3 anos atrás quando Shana Halligan, vocalista da banda, respondeu a um anúncio de "Projeto eletrônico procura por vocalista feminina" que Kiran Sahahani colocou no Craigsist.com

Desde então, já são dois discos: The Mating Game e o novíssimo Drama (cuja música The Bomb é a tal do seriado).

Baixei os dois cds e estou amando!!!

Recomendadíssimo!

Beijos

A.

17 dezembro 2008

Elizabeth Shepherd




Maravilhosa!!!

Voz firme e suave, muito afinada, e músicos de primeira!

Jazz de muitíssima qualidade, sendo que no disco de '07 Besides - Remixes & B Sides tem uma batida mais rapidinha e a música fica ótima até pra dançar!

São 3 discos:

Parkdale (2008)

Besides - Remixes & B Sides (2007)

Start to Move (2007)




Ouçam, amem e divulguem!!!

Kisses

A.

11 dezembro 2008

Peso ou leveza?





"Não faz muito tempo, flagrei-me experimentando uma sensação absolutamente inacreditável. Folheando um livro sobre Hitler, comovi-me com alguns de seus retratos: lembravam minha infância. Eu cresci durante a guerra; vários membros de minha família pereceram nos campos de concentração de Hitler; mas o que foram suas mortes comparadas às memórias de um período já perdido de minha vida, um período que jamais retornaria?

Essa reconciliação com Hitler revela a profunda perversidade moral de um mundo que repousa essencialmente na inexistência do retorno, pois, num tal mundo, tudo é perdoado de antemão e, portanto, cinicamente permitido.

Se cada segundo de nossas vidas repete-se infinitas vezes, somos pregados à eternidade feito Jesus Cristo na cruz. É uma perspectiva aterrorizante. No mundo do eterno retorno, o peso da responsabilidade insuportável recai sobre cada movimento que fazemos. É por isso que Nietzsche chamou a idéia do eterno retorno o mais pesado dos fardos (das schwerste Gewicht).

Se o eterno retorno é o mais pesado dos fardos, então nossas vidas contrapõem-se a ele em toda a sua esplêndida leveza.

Mas será o peso de fato deplorável, e esplêndida a leveza?

O mais pesado dos fardos nos esmaga; sob seu peso, afundamos, somos pregados ao chão. E, no entanto, na poesia amorosa de todas as épocas, a mulher anseia por sucumbir ao peso do corpo do homem. O mais pesado dos fardos é, pois, simultaneamente, uma imagem da mais intensa plenitude da vida. Quanto mais pesado o fardo, mais nossas vidas se aproximam da terra, fazendo-se tanto mais reais e verdadeiras.

Inversamente, a ausência absoluta de um fardo faz com que o homem se torne mais leve do que o ar, fá-lo alçar-se às alturas, abandonar a terra e sua existência terrena, tornando-o apenas parcialmente real, seus movimentos tão livres quanto insignificantes.

O que escolheremos então? O peso ou a leveza?"


Milan Kundera, em "A Insustentável Leveza do Ser".

*Repostagem do ano passado...

40 anos do AI-5








40 anos do Ato Institucional 5, decretado em 13 de dezembro de 1968 e que confirmou a instalação da ditadura militar no país. O ato suprimiu direitos civis e deu poderes absolutos ao regime militar. Como determinação mais extrema, o AI-5 resultou no fechamento do Congresso Nacional por prazo indeterminado, além de decretar a intervenção nos estados e suspender habeas corpus para crimes políticos e para reuniões de cunho político.

"O AI-5 inaugurou um dos períodos mais tenebrosos da vida pública nacional e que perdurou, infelizmente, por 10 anos e 18 dias. No período em que vigorou, instaurou uma cultura do medo, embora não tenha calado por completo as vozes que se opunham à ditadura, seja na luta social, seja na institucionalidade possível", disse o presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP).

(Correio Braziliense online, 11/12/08)


Pois é, eu não estava lá, mas acho que até hoje vivemos memórias e resquícios desse período. A liberdade adquirida, a Constituição de 88, todas consquitas que hoje usufruímos graças aos que lutaram contra esse período negro e tenebroso.

Estamos engatinhando ainda, mas a nossa Constituição é uma das mais belas já escritas e deveria ser de conhecimento de todos, principalmente o art, 5º!!!

Então que continuemos a caminhada, buscando menos corrupção,mais igualdade social, mais felicidade pra nação!!!

Beijos

A.

A tempo: imagens da exposição que o Museu da Câmara preparou para a data. Arte feita pelo Mateus Zanon, pesquisa por Amanda Ourofino e Jessica Freitas.

10 dezembro 2008

Bye bye!



Descobri hoje que meu estágio acabou na sexta passada...

Agora sou oficialmente uma desempregada!

É engraçado como tudo na minha vida é assim, meio que de supetão. Eu estava me preparando para mais uma semana de trabalho e eis que BUM, já acabou.

1 ano de trabalho, de ralação, de convivência. Foi bacana, aprendi muito, cresci com profissional, como pessoa. Acho que agora tenho experiência, e quem sabe - ou melhor, com certeza - será últil na minha vida como um todo.

É isso, hora de partir, começar uma nova etapa, uma nova vida profissional!


A.

09 dezembro 2008

Mais Tarde...




Mais Tarde
Marcelo Camelo


Pode ser até do corpo se entregar mais tarde
Parece simples mas a gente às vezes é
E o amor é lindo deixo
Tudo que quiser eu não me queixo em ser
Acho normal ver o mundo feito faz o mar num grão de areia

É de se entregar a sorte e todo mundo vai saber
É de se entregar a sorte e todo mundo vai saber e ver
Que o vai e vem pode ser eterno
Pra ver quem manda
Acho que não vai dar tô cansado demais
Vou ver a vida a pé
Acho normal tá no mundo feito faz o mar num grão de areia

Os segundos passam... os minutos passam... as horas passam...


E eu continuo aqui, sem sono... sem conseguir dormir...

"Mardita" essa insônia!

O engraçado é que houve um tempo (quando mesmo?!) em que isso não me acontecia. Houve um tempo em que não era necessário que eu fizesse toda uma preparação para conseguir dormir, tomasse remédio (não, não é tarja preta), lesse um livro, sei lá.

Parece que deitar a cabeça no travesseiro é sinônimo de "vamos pensar e elaborar coisas". Tive tantas idéias pra minha monografia, e adivinha quando? Justamente quando colocava a cabeça no travesseiro.

Queria ser como um reloginho...dormir 8h/noite, acordar bem, disposta, estudar o dia todo, fazer o que deve ser feito, enfim. Viver sem tanta angústia pelo simples fato de não conseguir dormir. O estranho é que no dia seguinte eu nem fico mais cansada.

Hoje não dormi a tarde, tomei o remédio na hora certa, fiz tudo direitinho, e quem disse que funcionou? Me passou pela cabeça agora se é o fato d'eu ficar vendo seriado no computador. Não pelos seriados, mas pelo computador... Me veio justamente aquela pessoa chata e ecologicamente correta que fica buzinando na cabeça de todo mundo: "celular causa câncer, microondas causa câncer, computados causa câncer..." E sempre tem um assim pra falar, né?

Bem, vou eu pegar um livro, deitar a cabeça no travesseiro, e rezar pra que o sono chegue!


À bientôt!


A.

08 dezembro 2008

Feist




Tenho fuçado e descoberto muitas coisas boas... hábito herdado do relacionamento passado... heheheheh

Tava vendo um filme desses tipo sessão da tarde, comédia romântica, com a Uma Thurman, e eis que me deparo com uma música encantadora... depois de descobrir o nome da cantora nos créditos, baixei o disco! E não é que é muito bom!?!?!?

Cantora canadense, de voz suave, música pra ouvir quando se está triste ou alegre, arrumando o quarto ou simplesmente sem fazer nada...

Experimentem!


Site oficial: http://www.listentofeist.com/

Artigo que saiu na Rolling Stone americana: http://www.listentofeist.com/gallery/photo/195?press



Clique no título se quiser baixar. Aproveite e dê uma olhada no blog que tem o link, tem muita, muita coisa boa!!! Minha nova descoberta musical, por assim dizer!


Beijos


A.

Voltar

Olhando os post passados, percebi que o tempo passou...

De fato me formei (e com louvor) nesse semestre; a viagem pra Sampa já aconteceu; até meu namoro terminou...

Muito pode acontecer em poucos meses. Acho que por isso o medo do futuro, daquilo que não temos controle absoluto. Controle: um esforço enorme para riscar essa palavra do meu dia a dia. Controlar cansa. Cobrar também. Exigir, idem.

Quero ser livre, leve e solta... no sentido visual da expressão. Chega de complexidade, de complicação, de peso e briga.

Quero mesmo é ser e estar feliz!!!

09 julho 2008

Férias... Férias?!?!?




Viagem marcada e confirmada (EBA). Doida pra ver outra cidade, passear, estar e matar a saudade do Amor, fazer programas divertidos e ver arte, muita arte.

Mas enquanto isso tento não sentir tédio. Difícil isso. Tento voltar minha atenção à pequena, mas mesmo assim, nos momentos em que não estou com ela sinto tédio. Será que isso é uma prova de que eu sou meio workaholic??? Ou é apenas pq eu fico pensando na viagem e fico ansiosa!??!?!

Bem, deixa pra lá...

O importante é que

SAMPA: AÍ VOU EU!!!!!!!!!

24 junho 2008

Reflexões


Estou na aula de Psicologia da Criatividade. Última aula do semestre. Entrega do trabalho final. Despedida dos colegas e acabaram tornando-se amigos queridos. Matéria das mais divertidas e interessantes que já cursei na universidade. Uma das despedidas que começa hoje... pois semestre que vem será o meu último de fato.

Tenho pensado nesse meu caminho. Que chega ao fim. Ou ao começo, recomeço. O que vou fazer quando esse momento final chegar? Não sei.

A vida é uma caixinha de surpresas. Isso eu aprendi cedo. E, honestamente, não estou muito preocupada com o que vai acontecer. Acho que as minhas perspectivas são boas, e o pior que pode me acontecer não é tão ruim assim...

O que eu tenho feito é me focado naquilo que ue desejo. Sim, as coisas físicas, materiais, terrenas mesmo. E tenho sentido uma força de vontade e objetividade imensas em mim mesma. Como se almejar as coisas fosse parte de consegui-las.

Enfim...

Só pensando...

:-)

10 junho 2008

O que eu estava fazendo há...

... 10 anos:
1. 1º ano do ensino médio
2. primeiro namorado
3. estudando violino
4. estudando francês
5. indo ao Batom na Cueca com a Paty

... 5 anos:
1. namorando terminando um namoro de 2 anos e meio
2. mudando de curso e de facul
3. a melhor terapia da minha vida
4. caindo na farra
5. fazendo novos amigos

... 2 anos:
1. tendo a minha pequerrucha
2. apanhando pra amadurecer e cuidar da pequena
3. indo morar junto
4. sendo dona de casa
5. descobrindo os livros-arte

... 1 ano:
1. comemorando niver de 1 ano da Ju
2. estagiando com um fotógrafo
3. entrando em crise
4. aprendendo mais e mais com a Ju
5. tentando ser uma boa mãe

... 6 meses:
1. conseguindo meu sonhado estágio na minha área
2. morando sozinha com a Ju
3. virando - de fato - gente grande
4. dando a volta por cima
5. curtindo uma farrinha moderada

... 24 horas:
1. filme do Sex and The City
2. curtindo uma gripe horrorosa
3. gripe
4. gripe
5. namorando o amor

... 10 minutos:
1. dando jantar pra Ju
2. vendo Discovery Kids com a Ju
3. lendo o blog da Maria
4. ficando de cama com gripe
5. gripe

E VC!??!?!

14 maio 2008

Patricia Pillar 42 Anos. Relato às Mulheres.

Nota de Patrícia Pillar à imprensa:

Eu tive uma forma rara de câncer de mama, que está no exterior da mama, no mamilo ou auréola, surge como um vermelhão que depois se torna uma lesão com bordas crustosas. Eu nunca teria suspeitado que seria um câncer de mama, mas era..
Meu mamilo nunca pareceu diferente para mim, mas o vermelhão incomodou, por isso eu fui ao consultório do meu médico.
Às vezes coçava e doía, mas outras vezes não atrapalhava. Era só feio e incômodo, e não desaparecia com todos os cremes prescritos pelo dermatologista, como a dermatite nos olhos que tive antes disso.
Aí fui ao consultório para ser examinada. Eles pareciam um pouco preocupados, mas não me avisaram que poderia ser câncer.
Agora suspeito que não há muitas mulheres por aí que saibam que uma lesão ou vermelhidão no mamilo ou auréola pode ser câncer de mama.
Estes são os sintomas:
O meu começou como uma simples pápula (espinha) na auréola.
Um dos maiores problemas com a Doença de Paget do mamilo é que os sintomas parecem inofensivos. Pensa-se freqüentemente que é uma inflamação ou infecção de pele, levando a indesejáveis adiamentos na detenção e tratamento.

Os sintomas incluem:
a) Um persistente vermelhidão e crostas no seu mamilo levando-a a coçar e provocar queimação (como falei, o meu não coçou ou ardeu, mas tive uma crosta na borda externa de um dos lados).
b) Uma dor no seu mamilo que não diminui (a minha era na área da auréola com uma área grossa e esbranquiçada no centro de meu mamilo).
c) Geralmente só um mamilo é afetado.

Como é diagnosticado:
Seu médico fará exame físico, e pedirá mamografia bilateral imediatamente. Apesar de a vermelhidão, inchaço e crosta parecerem dermatite inflamação da pele), seu médico deve suspeitar de câncer se a lesão for em apenas uma mama. Seu médico deverá pedir uma biopsia em sua lesão para confirmar o que está acontecendo. Eles tirarão uma amostra do seu tecido mamário naquela área para testar um câncer.
Se o câncer for só no mamilo e não na mama, seu médico pode encomendar retirar só o mamilo e o tecido ao redor, ou sugerir radioterapia. Se o meu médico cuidasse do meu rapidamente ao invés de ir tratando como dermatite, talvez pudessem salvar minha mama e a doença não iria para meus nódulos linfáticos.

NOTA:
Esta mensagem deve ser levada à sério e repassada para tantas amigas quanto possível. Pode salvar a vida de alguém. Meu câncer de mama se espalhou e metastatizou para meus ossos, isso depois de receber mega doses de quimioterapia, 28 tratamentos de radioterapia e tomar Tomoxipan.
Talvez se eu soubesse dessa doença anteriormente, ela não teria se espalhado. Tentei relatar o meu caso em um programa de TV, mas não houve interesse sobre esse tema.

Por favor atendam a este pedido:
ENVIE ESTA MENSAGEM A TODAS AS MULHERES COM QUEM VOCÊ SE PREOCUPA. E PARA OS HOMENS
QUE VOCÊ CONHECE E QUE AMAM AS MULHERES QUE EXISTEM EM SUAS VIDAS , PARA QUE POSSAM TAMBÉM
AJUDÁ-LAS NO COMBATE CONTRA O CÂNCER.

Patricia Pillar.

15 abril 2008

Roberta Sá



Interessa

Roberta Sá

Composição: Indisponível

Se você quiser saber (Interessa?)
Por que é que eu gosto dele (Interessa?)
É que ele é meu benzinho
E me trata com carinho
Faz vontade pra mamãe.

Se você quiser saber
Por que é que eu gosto dele (Interessa?)
É que ele é meu benzinho
E me trata com carinho
Faz vontade pra mamãe.

De manhã me dá um beijo
Quando sai pra trabalhar
Adivinha o meu desejo
Traz docinhos pro jantar.

Quem é que não desejava
Ter um maridinho assim?
A sorte não é pra todas
Talvez seja só pra mim.

(Interessa?)


O show foi MARAVILHOSO!!!!

09 abril 2008

E o que acontece quando tudo o que se tem - de material - são apenas a lembrança daquilo que se tinha???

O que fazer quando a injustiça é que - sim! -, fiquei sem, fui lesada, furtada, levaram meus pertences...

Pois é...
Eu sei que são apenas bens materiais, que não me machucaram nem à minha filha, mas vamos ser honestos??? Eu sinto uma falta imensa da minha maçãzinha e das minhas (!) câmeras!!! Como vou trabalhar agora??? Será que eu devo então deixar a fotografia de lado um pouco???

Bem...

Só me resta agora respirar fundo e trabalhar muito para juntar todo esse dindin de novo!!!

E viva o altruísmo!!!

19 março 2008

Aí vamos nós!!!




Rio, cidade maravilhosa!!!
Te quero de braços abertos para nos receber!!!

Nem acredito de tanta felicidade: eu e meu amor passeando no feriado!!!

EEEEEEEEEEEEEEEEEE!!!

14 março 2008

Saudade

"Saudade é um pouco como fome. Só passa quando se come a presença. Mas às vezes a saudade é tão profunda que a presença é pouco: quer-se absorver a outra pessoa toda. Essa vontade de um ser o outro para uma unificação inteira é um dos sentimentos mais urgentes que se tem na vida."

Clarice Lispector


Será que é a paixão ou todo mundo sente assim?!?!?!?

04 março 2008

Falo de ti

"Falo de ti às pedras das estradas,
E ao sol que é louro como o teu olhar,
Falo ao rio, que desdobra a faiscar,
Vestidos de princesas e de fadas;

Falo às gaivotas de asas desdobradas,
Lembrando lenços brancos a acenar,
E aos mastros que apunhalam o luar
Na solidão das noites consteladas;

Digo os anseios, os sonhos, os desejos
Donde a tua alma, tonta de vitória,
Levanta ao céu a torre dos meus beijos!

E os meus gritos de amor, cruzando o espaço,
Sobre os brocados fúlgidos da glória,
São astros que me tombam do regaço!"

Florbela Espanca

03 março 2008

Leveza, certamente...

À parte conceitos de peso e leveza que já vi e revi (em artes principalmente), realmente acho que prefiro a leveza... Ou talvez preferir nem seja o termo adequado...
Mas fiquemos com ele, por hora!

Por que a leveza?
Bem... simplesmente porquê é leve, eu poderia dizer. Ou porquê me leva além, eu poderia pensar.

Mas honestamente, o que me atrai na leveza, é que quando penso nela, penso no riso, nas flores, no amor dos amores, no dia perfeito, na comida gostosa, na música que encanta, no filme que apaixona... Quando penso em leveza, penso em felicidade... aquela coceguinha boa que aparece quando o mais do mais simples nos é revelado: sim, viver é isso.

E mais um pouco...

23 fevereiro 2008

Peso ou leveza?

"Não faz muito tempo, flagrei-me experimentando uma sensação absolutamente inacreditável. Folheando um livro sobre Hitler, comovi-me com alguns de seus retratos: lembravam minha infância. Eu cresci durante a guerra; vários membros de minha família pereceram nos campos de concentração de Hitler; mas o que foram suas mortes comparadas às memórias de um período já perdido de minha vida, um período que jamais retornaria?

Essa reconciliação com Hitler revela a profunda perversidade moral de um mundo que repousa essencialmente na inexistência do retorno, pois, num tal mundo, tudo é perdoado de antemão e, portanto, cinicamente permitido.

Se cada segundo de nossas vidas repete-se infinitas vezes, somos pregados à eternidade feito Jesus Cristo na cruz. É uma perspectiva aterrorizante. No mundo do eterno retorno, o peso da responsabilidade insuportável recai sobre cada movimento que fazemos. É por isso que Nietzsche chamou a idéia do eterno retorno o mais pesado dos fardos (das schwerste Gewicht).

Se o eterno retorno é o mais pesado dos fardos, então nossas vidas contrapõem-se a ele em toda a sua esplêndida leveza.

Mas será o peso de fato deplorável, e esplêndida a leveza?

O mais pesado dos fardos nos esmaga; sob seu peso, afundamos, somos pregados ao chão. E, no entanto, na poesia amorosa de todas as épocas, a mulher anseia por sucumbir ao peso do corpo do homem. O mais pesado dos fardos é, pois, simultaneamente, uma imagem da mais intensa plenitude da vida. Quanto mais pesado o fardo, mais nossas vidas se aproximam da terra, fazendo-se tanto mais reais e verdadeiras.

Inversamente, a ausência absoluta de um fardo faz com que o homem se torne mais leve do que o ar, fá-lo alçar-se às alturas, abandonar a terra e sua existência terrena, tornando-o apenas parcialmente real, seus movimentos tão livres quanto insignificantes.

O que escolheremos então? O peso ou a leveza?"

Milan Kundera, em "A Insustentável Leveza do Ser".

21 fevereiro 2008






Tudo Novo de Novo


"Vamos começar
Colocando um ponto final
Pelo menos já é um sinal
De que tudo na vida tem fim

Vamos acordar
Hoje tem um sol diferente no céu
Gargalhando no seu carrossel
Gritando nada é tão triste assim

É tudo novo de novo
Vamos nos jogar onde já caímos
Tudo novo de novo
Vamos mergulhar do alto onde subimos

Vamos celebrar
Nossa própria maneira de ser
Essa luz que acabou de nascer
Quando aquela de trás apagou

E vamos terminar
Inventando uma nova canção
Nem que seja uma outra versão
Pra tentar entender que acabou

Mas é tudo novo de novo
Vamos nos jogar onde já caímos
Tudo novo de novo
Vamos mergulhar do alto onde subimos"


Paulinho Moska


É, acho que a dualidade e o paradoxo sempre existiram e sempre existirão em mim (e no mundo?). Mas aquela separação, aquelas duas personagens que se alternavam em mim (vide post um pouco abaixo), bem, uma delas foi-se... feliz de poder dar lugar a outra(s), feliz por poder começar tudo novo de novo...

04 fevereiro 2008

Redescobrindo os clássicos...

Tempo de mudança é sempre tempo de futuro e de passado, simultaneamente...

E com isso, redescubro os clássicos! E também graças a uma pessoa única que surgiu na minha vida!!!

Delicie-se!!!


PS: só clicar no título

02 fevereiro 2008

Duas Vidas

Muitas vezes, sinto que as coisas não terão solução. Como se tudo que acontecesse fosse findável em si mesmo, e não como se, mesmo findo, algo novo surgirá e a vida seguirá seu rumo.
Sinto como se vivesse uma vida dupla.

Na primeira eu ainda sinto todas as emoções de meu coração partido, a dor infindável da separação, do amor que continua a pulsar em mim, de todos os planos que não aconteceram, de todos os desejos que ficaram pra trás, de toda fé depositada que agora é sem lugar... Dor que não diminui, que não passa, que persegue e inferniza. Dor que consome e parece tomar-me inteira, completa, como se não houvesse nada a mais, nada além. Dor pelo que não aconteceu, pelo o que não vivi ao lado dele, dor por aquilo que nunca chegaremos a ser.

Na segunda sou uma pessoa totalmente nova. Segura, com força de vontade e coragem, sigo em frente sem olhar pra trás. Vivo um dia de cada vez, lamentos, fazendo sempre o melhor que posso. Tento ser a melhor mãe, a melhor artista, a melhor empresária, a melhor estagiária, a melhor dona de casa, a melhor amante... Tudo me impulsiona pro futuro, pro que há além, pras possibilidades e novas oportunidades. Riscos não são problema, pois se existem, valem a pena. Sinto que vivo e que quero viver, sem me prender ao que de ruim me aconteceu.

As duas vidas coexistem, e alternam-se com uma frequencia absurda. Quando estou em uma, a outra não deixa de existir, apenas se esconde por hora... e acaba sempre retornando...

A esperança é apenas uma delas sobreviva... de preferência aquela que me leva pro infinito...

04 janeiro 2008

Ainda...

O post abaixo ainda tá valendo...

mesmo com a virada do ano...

...enfim...

...só resta esperar passar...